26 maio 2009

DUAS HOMENAGENS A CARLOS BERNARDO LOUREIRO

Alguns anos atrás a sociedade baiana foi surpreendida com a notícia do falecimento do escritor, professor, advogado e pesquisador Carlos Bernardo Cajazeira Loureiro de Souza, aos 64 anos de idade. Filho do professor e jornalista Antônio Loureiro de Souza e Elza Cajazeira Loureiro de Souza, ele nasceu em 16 de abril de 1942 e desde cedo demonstrou sua inteligência e sede de saber, lendo tudo quanto lhe chegava às mãos, passando a conhecer escritores de nomeada, tais como Machado de Assis, Humberto de Campos, Voltaire, Platão e outros.
Eu o conheci por volta de 1956, quando ele estava com 14 anos de idade. De seu pai herdou o bom gosto pela leitura e estudo das obras profanas que o velho professor conhecia como poucos. Ao despontar sua mediunidade, Carlos Bernardo procurou o presidente do Instituto Espírita da Bahia, Aurelino Mota de Carvalho, iniciando suas atividades no Espiritismo, ao mesmo tempo em que passou a estudar a obra de Allan Kardec e dos grandes escritores espíritas tais como Gabriel Delanne, Ernesto Bozzano, Léon Denis, Alexandre Aksakof etc, ao mesmo tempo em que procurava meu pai (Alfredo Miguel) para aconselhar-se com ele e discutir pontos que ainda não havia assimilado com segurança. Era um estudioso em profundidade e, em razão disso, partiu para a pesquisa dos grandes fenômenos, tais como a psicometria, pneumatofonia, visão à distância, aparições e tudo quanto lhe despertasse a curiosidade. Para melhor compreensão e aprofundamento das questões, estudou Rhine, Freud e inúmeros pesquisadores.
Seus conhecimentos sobre Espiritismo eram amplos e Carlos Bernardo fundou o periódico "Impacto", incumbindo-me de traduzir textos de autores de língua espanhola e confeccionar os meus próprios artigos. A experiência foi positiva, com trabalhadores de várias partes do Brasil e do exterior. Não satisfeito com a divulgação da doutrina pela imprensa, manteve na Rádio Clube AM de Salvador o programa "Conversando sobre Espiritismo". Insatisfeito com os trabalhos de vários centros e médiuns espíritas com os quais contatou, fundou a Sociedade de Cultura Espírita da Bahia (Soceba), na Baixa de Quintas, com a colaboração de Djalma Argollo, Pedro Spinelli, eu e sua dedicadíssima esposa Lúcia Loureiro. Dissolvida a Soceba, criou o Teatro Espírita "Leopoldo Machado", no bairro da Boa Viagem, onde batalhou incansavelmente até seu desaparecimento. Em 1986 desenvolveu suas qualidades de pesquisador no Círculo de Pesquisas "Ambroise Paré", investigando o campo das manifestações psíquicas e mediúnicas, conseguindo uma variada gama de efeitos físicos e materializações de espíritos.
Carlos Bernardo foi representante da ABRAJEE (Associação Brasileira de Jornalistas e Escritores Espíritas), na Bahia, deixou 21 livros editados e 16 inéditos, que deverão ser lançados brevemente tão logo sua esposa e filhos terminarem de efetuar a devida revisão. Entre seus irmãos de crença fez muitos amigos e inúmeros indiferentes que o criticavam por não entenderem a sua luta em busca de um Espiritismo racional, comprovado e devidamente assimilado tal como ensinava o mestre Kardec. Nize César, que hoje reside na Espanha, e foi uma de suas beneficiadas em trabalhos mediúnicos, publicou em A TARDE de 18 de agosto último um artigo no qual exaltava seu trabalho dedicado à causa do Espiritismo, destacando o escritor e a realização de pesquisas, palestras e programas na imprensa falada, escrita e televisionada.
Carlos Bernardo Cajazeira Loureiro de Souza foi um exemplo de luta e dedicação à nobre causa espírita. Ao partir, deixou uma grande lacuna no seio da doutrina, somente compensada pela existência do Telma (Teatro Espírita "Leopoldo Machado"), a creche Stella Tarquínio de Souza (que cuida de dezenas de crianças) e cerca de 400 médiuns por ele orientados para a realização das tarefas naquela instituição, uma obra que merece os maiores elogios pelos trabalhos ali desenvolvidos e que ora necessita de maior auxílio de seus simpatizantes e freqüentadores.
Paz e progresso para seu espírito incansável sempre em busca de renovação!
Gilberto Santos
jornalista, articulista e professor

Bernardo, como era chamado no TELMA(Teatro Espírita Leopoldo Machado), quando ainda tinha suas instalações no bairro da Saúde em Salvador, foi tudo isso e muito mais. A mim, fez o que de melhor se pode fazer pelo semelhante,mudou a minha forma de ver a vida ,mudou o meu pensamento de uma forma definitiva.Obrigado Carlos Bernardo Loureiro ,meu mestre e irmão.
Haroldo Matias

11 comentários:

Anônimo disse...

Visitem o site www.institutocbl.com.br E leiam um instituto dedicado a divulgação da pureza doutrinária do Espiritismo e o traalho do querido polemista Carlos Bernardo Loureiro

Leonardo disse...

O último dos moicanos era como se declarava o Carlos Bernardo, visitem o site do Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro e saberão o que é a pureza doutrinária.

Luis disse...

O ICECBL preserva na íntegra a essência do pensamento desse grande pesquisador, dando continuidade à suas pesquisas e lutando para a preservação do direito de pesquisa e do livre pensamento baseado na pureza doutrinária. Quem valoriza o trabalho de Bernardo e ainda não conhece o Instituto, recomendo uma visita!

Anônimo disse...

Fui médium, com muita honra, de Carlos Bernado e repito o que ele dizia sempre e continua sendo atual: O TELMA é último reduto da pureza doutrinária do espiritismo. Para que modestia se os fatos falam pro si.

celia queiroz disse...

fui mediun de Bernardo e tudo que aprendi de pureza doutrinaria devo ao mesmo,se sei um pouco da realidade espiritual tambem,alias se sou respeitada e recebo convites para falar em publico devo a Loureiro que acreditou e deu-me a primeira chance de falar em publico em um seminario sobre Kardec com o tema Viajem espirita de 1862 assunto por min e muitos desconhecido e vejo 25 anos depois que quando eu faço como ele fez as pessoas fazem a mesma pergunta que fiz comigo aonde eu vou achar esse assunto para estudar?existe o livro que traduz o pensamento filosofico de Kardec e continua desconhecido por muitos.obrigado Bernardo v. continua sendo meu Mestre com carinho

Anônimo disse...

Aprendi com Bernardo,pois continuo médium,trabalho e estudo muito que um ideal não está em uma casa de tijolo ou blocos como queira ,e sim,a dignidade de defender na íntegra um ideal e não modificá-lo,e muito menos destruir tudo ,principalmente a pesquisa.Sou livre pensador,aprendi com o querido Bernardo e não se aceita modismos e muito menos práticas exdrúxulas no Espiritismo.O Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro continua com ideal o trabalho dos Espíritos sem misticismo e junto o trabalho de Carlos Bernardo sem fanatismo ou guruismo,mas afinidade com um companheiro de ideal.

Anônimo disse...

Conhecí o Instituto de Cultura Espírita Carlos Bernardo Loureiro, e as palestras bem como o tratamento mediúnico são muito bons pois lá existem bons médiuns, alguns foram grandes apostas de Bernardo, triste hoje pelo caminho que estes tomaram.

É uma excelente casa espírita mas só funciona para quem tem dinheiro ou para quem de alguma forma financia suas pesquisas, e só por este fato, desconsiderando ainda muitos outros que por lá acontecem, o trabalho deste grande Mestre Espírita é CRUELMENTE DETURPADO.

O ICECBL não merece este nome e o respeito daqueles que vivenciaram no TELMA o trabalho de Carlos Bernardo Loureiro, polêmico, brilhante, justo, e extremamente competente.

Anônimo disse...

Só um imbecil para afirmar que o ICECBL só se frequenta quem tem dinheiro para financiar as pesquisas que lá existem!A inveja é demais!!!!!Por que você não se identifica?Deve ser alguém que queria notoriedade ou privilégios!Coisa que não acontece lá!As consegu^ncias de quem denegri é fato,imbecil!!!!!

Anônimo disse...

Infelizmente pessoas procuram ajuda no Espiritismo simplesmente para ser "salvos" de seus problemas físicos, e quando encontram esclarecimento e verificam a necessidade de mudar suas atitudes e seus vícios, não suportam e saem denegrindo um trabalho que um dia elogiou! São pessoas que circulam de porta em porta comparando trabalhos, como se estes fossem soluções de seus problemas. No ICECBL encontramos sim esclarecimento e condição de entender que somos "artífices de nossas próprias dores", dignificando assim todo aprendizado com o mestre Carlos Bernardo Loureiro.

NILDA GUTIERREZ disse...

SERÁ QUE É ÚTIL SABER DE OPINIÃO DE ANÔNIMOS, MELHOR DEIXA-LOS NO SEU ANONIMATO DE ONDE NÃO DEVERIAM TER SAÍDO. O ICECBL NÃO SÓ DIVULGA A PUREZA DA DOUTRINA ESPÍRITA, TAMBÉM NOS ESCLARECE E NOS INCENTIVA AOS ESTUDOS, O MESMO TRATAMENTO QUE É DADO AOS TRABALHADORES DA CASA É DE IGUAL AOS ASSISTIDOS. NÃO É PRECISO DE NENHUM CENTAVO PARA TER ACESSO A CASA, SE ASSIM FOSSE LÁ NÃO ESTARIA, DÁ-SE DÍZIMO E SE PASSA SACOLINHA É NAS IGREJAS. NUM LUGAR ONDE TEM DISCIPLINA E RESPEITO SÓ PODE TER ESPÍRITOS ESCLARECIDOS, O QUE TODOS NÓS DEVERÍAMOS FAZER, NOS ESCLARECER PARA CRITICAR.

Carlos Bernardo disse...

Olá a todos, por favor permita-nos divulgar o nosso canal no youtube, onde consta muitas aulas e palestras de Carlos Benardo Loureiro, obrigado!
https://www.youtube.com/channel/UC0PvSzUT3DvCObyGJIC3jnw