03 setembro 2009

A FÉ

Revista Espírita 1862

Eu sou a irmã mais velha da Esperança e da Caridade, chamo-me a Fé.
Sou grande e forte; aquele que me possui não teme nem o ferro e nem o fogo: é a prova de todos os sofrimentos físicos e morais. Irradio sobre vós com um faixo cujos jatos faiscantes se refletem no fundo dos vossos corações, e vos comunica a força e a vida. Dizse entre vós que ergo as montanhas, e eu vos digo: venho erguer o mundo, porque o Espiritismo é a alavanca que deve me ajudar. Uni-vos, pois, a mim, eu sou a Fé. Eu sou a Fé! Habito, com a Esperança, a Caridade e o Amor, o mundo dos puros Espíritos; freqüentemente, deixei as regiões etéreas, e vim sobre a Terra para vos regenerar, dando-vos a vida do Espírito; mas, à parte os mártires dos primeiros tempos do Cristianismo, e alguns fervorosos sacrifícios, de longe em longe, ao progresso da ciência, das letras, da
indústria e da liberdade, não encontrei, entre os homens, senão indiferença e frieza, e retomei tristemente meu vôo para os céus; vós me crieis em vosso meio, mas vos enganastes, porque a Fé sem as obras é uma aparência de Fé; a verdadeira Fé é a vida e a ação.
Antes da revelação do Espiritismo, a vida era estéril, era uma árvore seca pelos estrondos do raio que não produzia nenhum fruto. Não se me reconhecia pelos meus atos: eu ilumino as inteligências, aqueço e fortaleço os corações; expulso para longe de vós as influências enganadoras e vos conduzo a Deus pela perfeição do espírito e do coração. Vinde vos alinhar sob minha bandeira, sou poderosa e forte: eu sou a Fé. Eu sou a Fé, e o meu reino começa entre os homens; reino pacífico que vai torná-los felizes para o tempo presente e para a eternidade. A aurora de meu advento entre vós é pura e serena; seu sol será resplandescente, e seu deitar virá docemente embalar a Humanidade nos braços das felicidades eternas. Espiritismo! Derrama sobre os homens o teu batismo
regenerador; faço-lhes um apelo supremo: eu sou a Fé.

GEORGES, Bispo de Périgueux.

2 comentários:

JR disse...

Esta fé que nos impulsiona para andar em frente ,mas nunca esquecendo que atraz de nós vem gente.
Dala...eu gostaria de abusar um pouquinho mais de sua boa vontade ,mas é que no trabalho de ontem um espirito amigo me pediu para investigar uns itens da revue spirit.
Já comentei outro dia com voce da minha paixão por ela e da dificuldade de encontrar.
Mando aqui o subtitulo se vc conseguir postar algo aqui ou colar no meu cantinho eu ficaria muito grata.
Abraços

xoogle disse...

Ah, você está aí, né fé? EU havia lhe perdido há um bom tempo. Agora te encontro aqui, toda prosa. Mas, não sei se vou andar contigo novamente não. Às vezes eu te acho o maior bla bla bla. Fui fiel a você por tanto tempo e tantas vezes. E nada. Sem falar do monte de gente que tem você transbordando pelos poros, e nao só isso, sao pessoas que entendem a maxima que a fé sem obras é morta, mas coitadas parecem ter fé em vão. Talvez a sua irmã esperança os ajude, não é mesmo. E por falar dessa tua irmã, avisa pra ela não aparecer mais lá em casa, pois sou capaz de fazê-la sair correndo. Não respondo pelos meus atos! Já a tal caridade, que prefiro chamá-la pelo primeiro nome, ou seja, Amor, essa pode vir que é sempre muito bem vinda. Aliás você e a Espe andam sumidas da praça, mas a Amor de vez em quando mostra as suas azinhas. Olha, me amarro nessa tua irmã. Se eu te passar meu telefone, você passa pra ela?