31 julho 2009

DESCENDENTE DE MIM MESMO

As provas de Kardec sobre a reencarnação decorrem de lembranças espontâneas e manifestações anímicas a respeito, bem como de investigações pelo processo hipnótico de regressão da memória. Albert De Rochas publicou suas pesquisas a respeito, muitas delas confirmadas pela pesquisa histórica possível. Hoje, Ian Stevenson divulga suas pesquisas de casos de lembranças, Barnejee faz o mesmo e Wladimir Raikov, na Universidaade de Moscou, não obstante os impedimentos ideológicos, insiste nessas pesquisas. A lei da reencarnação não pode ser provada pelos métodos atuais das Ciências, mas é evidente que a natureza do problema requer modificações no sistema metodológico. Raikov se atém ao problema das lembranças e sua influência no comportamento individual. Encara o fenômeno como patológico e possivelmente sugestivo. Segue praticamente o método hipnótico de De Rochas. Mas sua contribuição tem sido significativa, segundo informa Barnejee. Stevenson chega a declarar que suas pesquisas chegaram a evidência do fenômeno. A revolução metodológica atual nas Ciências, com avanço das pesquisas em todas as direções, pode levar à descoberta de um processo específico para comprovação de fatos que escapam ao confronto de elementos puramente materiais. Os cientistas enfrentam nesse momento as mesmas dificuldades que Kardec enfrentou há mais de cem anos. Mas Kardec não se embaraçou nessas dificuldades. Lembrou que a reencarnação é uma constante da Natureza, onde tudo se renova através de metamorfoses evolutivas, desde o reino mineral até o hominal. Hoje se alega o mesmo e, evoca-se a palingenesia, que é a lei geral das transformações, em que a reencarnação se inclui, e vários cientistas consideram que as provas possíveis já foram feitas, sendo descabidas novas exigências. A atitude de Kardec é endossada pelos cientistas de hoje. Os limites demasiado estreitos de comprovação científica oficial não podem predominar numa era em que a realidade, mesmo a sensorial, ampliou-se ao infinito.
Uma vez aceita a reecarnação, nós não pedemos descartar a possibilidade de termos sido quaisquer de nossos ancestrais. Pensando nesta linha faria sentido a passagem bíblica que diz que "pagaremos pelos erros de nossos antepassasdos até a quarta geração".Também temos que pensar que se podemos encarnar em quaisquer dos nossos descendentes, o mínimo que podemos fazer é um esfoço para melhorarmos o mundo para nós mesmos,já que não conseguimos pensar muito no outro.Fica aqui este material para reflexão.

3 comentários:

Márcia Corrêa disse...

Penso sobre esse tema quanto à questão ambiental. A compreensão da reencernação é fundamental para que o homem desenhe o futuro de forma sustentável, entendo que é para si, sobretudo, essa projeção.

Maria José disse...

Como é boa a amizade que compartilhamos através da nossa rede virtual. Aqui trocamos conhecimento, sentimentos, carinho, idéias, e até selinhos, sem nunca termos nos encontrado pessoalmente.
Este espaço virtual que dividimos é muito importante para mim, porque nos expomos, colocamos situações e trocamos nossas experiências pessoais, sem julgamentos ou condenações. Com que outro meio faríamos isso tão bem? Aqui, ajudamos uns aos outros, e aprendemos muito neste intercâmbio de informações.
Os meus dias são mais brilhantes e os meus pensamentos são muito mais felizes quando entro em seus blogs. Por outro lado, eu me importo com vocês e quero, através de minhas postagens, dar um pouco mais de vida e felicidade a todos vocês.
Sem este mundo virtual eu nunca conseguiria chegar assim tão perto de vocês!
Hoje estou passando por aqui para lhe dar um presente, o selo Mouse de Ouro. Espero que goste, pois ele representa amizade e respeito, entre outras coisas. Passo-lhe com muito carinho. Fique com Deus.

Jeanne disse...

Gostei muito deste artigo, peço licença para divulgar lá no blog com o teu link.
Aguardo tua resposta.
Abraços fraternos.